Do Papel à Rede – A evolução da Enciclopédia Britannica


Depois de 244 anos de história, oferecendo informações a estudantes e decorando prateleiras ao redor do mundo, os clássicos livros da Enciclopédia Britannica deixarão de serem impressos. O anúncio foi feito no final da terça-feira pela Encyclopædia Britannica Inc, editora responsável pela obra. De acordo com a empresa, a partir de agora seus 120 mil artigos estarão disponíveis apenas em “meios digitais”, como DVDs e planos de assinaturas.

Impressa desde 1768, a última versão da enciclopédia era composta por 32 volumes e podia ser comprada por módicos US$1.400,00 algo próximo de R$2.500,00. Sim é caro, mas, convenhamos que o simples fato de você ter um escritório ou uma minibiblioteca domiciliar com seus exemplares representavam – e ainda representam – um certo status.

Boa e Velha Britannica... Nunca me deixou na mão na hora de fazer meus trabalhos. Sentirei saudades de te folhear.

Já seus planos mensais têm valores que variam de US$ 1,99 a US$ 4,99, enquanto a assinatura anual custa US$ 70. Agora segue abaixo três citações de Jorge Cauz, presidente da Encyclopædia Britannica, à rede de notícias Reuters que demonstram o porquê dessa migração para o meio digital:

“A edição impressa se tornou difícil de manter e não é o melhor meio para entregar a riqueza de nossa base de dados e garantir nossa qualidade editorial”.

“A Britannica foi uma das primeiras empresas a realmente sentir o impacto da tecnologia, 20 anos atrás, e temos trabalhado para nos adaptar, ainda que às vezes isso seja muito difícil”.

“Não temos como falar de todos os personagens de desenhos nem sobre a vida amorosa das celebridades. Mas em troca nos focamos no que importa, sem ser tão grande, mas sempre correta em relação aos fatos”

De acordo com a Britannica, ainda existe um lote de 4 mil enciclopédias a espera de compradores. E os sortudos que comprarem mostrarão futuramente a seus descendentes uma das poucas coisas que pode ser considerado sinal de excelência em qualidade.

Espero juntar dinheiro para comprar uma e deixar guardada para mim. Ter uma Enciclopédia Britannica em mãos é uma experiência maravilhosa. Aqui em casa temos uma, mas, é da família. E como penso em sair de casa daqui alguns anos, seria maravilhoso ter uma dessas para os meus filhos verem, tocarem e sentirem que o conhecimento que cabe hoje em alguns poucos discos, é muito mais pesado do que eles podem carregar em um pendrive ou CD.

Sobre Jorge Afonso

Meu nome é Jorge Afonso Filgueiras Quinelato. Sou brasileiro, solteiro, bacharel em Administração e Técnico de TI trabalhando para o governo. Sou apaixonado por tecnologia e deskmod.

Publicado em 14/03/2012, em Informativo, Sites, Tudo. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. tenho uma com 21 volumes mais 01 The Index and Atlas, Dictionary VOL.1 e 2 será que vale alguma coisa? posso vender pra quem tiver interesse

Sua opinião é importante para nós. Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: